Seguidores

08 janeiro 2008

Condução para site precioso de Hitchcock

O ano entrante me pegou fora da Bahia, numa viagem sentimental à procura de um certo tempo perdido que não vem ao caso fazer referência no post, pois a ninguém interessa, mas somente a seu autor. O fato é que, na volta deste giro quase existencial, que é, de qualquer maneira uma viagem, deparo-me com um site espetacular, um grande presente para todos aqueles que gostam do cinema de Alfred Hitchcock. E quem, de sã consciência, pode não gostar deste gênio da sétima arte, um inventor de fórmulas, um fabulador excepcional, artista de gênio, construtor da linguagem cinematográfica? O que seria do cinema se não existisse Alfred Hitchcock?
Sei não, mas, com certeza, o cinema seria muito mais pobre. A contribuição de Hitchcock para a evolução da linguagem cinematográfica são favas contadas. E há, nos seus filmes, um homos hitchcockinianus, o que conduz à percepção de que o mestre é um autor de filmes. Os franceses tiveram uma grande capacidade perceptiva quando, à parte o exagero da Teoria do Autor, perceberam, em cineastas considerados meros artistas do entretenimento, autores na exata acepção da palavra, como Hitch e Howard Hawks (aliás, se fosse fazer uma lista com os meus filmes preferidos colocaria Hatari! (em O desprezo [Le mépris], de Godard, há um momento em que Bardot, a bela, parada numa rua, tem, por trás, um grande cartaz deste filme inesquecível) deste último, como um dos maiores). Não se pode negar, sob pena de visão deformada, que assim como nas obras de Hitch, nas de Hawks, e nas de outros que foram tidos como diretores de divertissements, um homos hawkinianus.
No site em questão, filme por filme, mais de 1.000 fotogramas de todos os seus filmes. O link é precioso e deve estar nos favoritos dos amantes da arte do filme. Antes de colocá-lo no ar, uma imprudência: leiam-me no Terra Magazine do qual sou colunista às terças:
E agora, com pompa e circunstância, o link do genial Hitch:
Barbara Leigh-Hunt, enforcada com a gravata, em Frenesi (Frenzy, 1972), do mestre.

3 comentários:

Rafael Carvalho disse...

Olá Setaro, faz um tempo que não apareço mais por aqui, muito oculpado. Muito legal esse site com os fotogramas dos filmes do Hitchcock, assisti recentemente a Janela Indiscreta, não tinha visto ainda.

E legal saber que está escrevendo agora na Terra Magazine, lerei sempre. E gostei muito de sua lista, mesmo que pequena, dos melhores do ano. Jogo de Cena está no topo de minha relação dos 10 melhores que tem também Cartas de Iwo Jima e Possuídos. Império dos Sonhos talvez fique entre os 20mais. E mesmo tendo gostado de Medos Privados, não chego a me entusiasmar tanto assim pelo filme do Resnais. Qua sabe numa revisão? Abraço!

Romero Azevêdo disse...

Setaro, essa dica de site abre 2008 com chave de ouro. É de tirar o folêgo de qualquer apreciador da arte dos filmes. Já salvei nos favoritos e,por precaução, vou botar num CD também.
Obrigado por mais essa.

Jonga Olivieri disse...

Uma das melhores coisas que vi até hoje na web este site com as cenas de filmes do Hitch.
Já está enter os meus favoritos...
Valeu!