Seguidores

23 dezembro 2007

Onde se encontram os melhores do ano?



Há uma decadência imensa na qualidade dos filmes que estão sendo lançados nos últimos anos. Nos anos 60, para se ficar apenas nesta década, a tarefa do crítico ou comentarista de selecionar os 10 melhores do ano era árdua, pois existiam 20, 30, e a triagem se fazia dolorosa. Atualmente a situação se inveteu: é muito difícil se achar uma dezena de filmes que possam ser considerados os melhores do ano. Por exemplo: A rainha, de Stephen Frears, com Helen Mirren, é um bom filme, mas não dá para contemplá-lo entre os eleitos de uma lista na qual somente deveria caber obras extraordinárias. É o que acontecia antigamente, quando os dez melhores eram dez obras-primas. A considerar o que se está aqui a dizer, não se acha o blogueiro em condições de, neste ano que ora se finda, fazer a relação.

A procurar agulha no palheiro, creio que apenas quatro filmes podem figurar numa lista dos melhores do ano. Vale notar que a distância entre o primeiro e os outros, por exemplo, é imensa. A ordem é de importância, sim!

1-) Medos privados em lugares públicos (Coeurs), de Alain Resnais. Disparado, o melhor filme do ano. O único, por assim dizer, grande filme do ano.

2-) As cartas de Iwo Jima (The letters from Iwo Jima), de Clint Eastwood.

3-) Possuídos (Bug), de William Friedkin.

4-) O império do sonho (Inland empire), de David Lynch

Resnais é, talvez, o último grande cineasta vivo. Eastwood herda a tradição do grande segredo do cinema americano dotado de uma narrativa quase muscular. Friedkin é surpreendente a cada tomada, a cada take, e Lynch faz descondicionar os termos da fabulação no cinema.

Clique na imagem para vê-la ampliada.

11 comentários:

Carla Pedrosa disse...

Mas que listinha mais mixuruca! E olha que Cartas é de 2006. Abaixo alguns dos excelentes filmes que vi em 2007, não sei os nomes no Brasil. Certamente o cinema vai mal, para aqueles que não querem enxergar o bom cinema:
No Country for Old Men, Joel Cohen
Deep Water, Louise Osmond
Ten Canoes, Rolf De Heer
Le Scaphandre et le Papillon, Julian Schnabel
Grbavica, Jasmila Zbanic
Triad Election, Johnnie To
Once, John Carney
A Fost Sau N-A Fost?, Corneliu Porumboiu

Sérgio Alpendre disse...

na minha lista, o primeiro será Em Busca da Vida, do Jia Zhang-ke

Carlos Pedrada disse...

Creio que Setaro falava de filmes exibidos regularmente no Brasil. Desse jeito posso apresentar também a lista dos dez melhores do Cazaquistão ou da Islandia. Dona Carla traduza pelo menos os títulos pois, se ainda não sabe, estamos no Brasil onde sa fala(e lê) português.

André Setaro disse...

Não vi "Em busca da vida", de Jia Zhang-ke, que deve ser um filme coreano surpreendente a saber da exigência crítica de Alpendre, cujo olhar cinematográfico sabe sempre se esbarrar com obras de fecundação estética para o cinema. Mas será que "Em busca da vida" passou em Salvador?

André Setaro disse...

A minha ignorância, imensa, não alcança a erudição de Carla Pedrosa em termos cinematográficos. Daí o 'mixuxuruquismo' de minha lista, humilde pobre, mas cheia de filmes espirituosos e inteligentes. Carla Pedrosa, no entanto, no afã de se mostrar cinéfila mais que perfeita, não nomeia bem os seus títulos, esquecendo de colocar, neles, os títulos tomados aqui no Brasil. Mas ao que parece é cinéfila de matriz internacional, que vê tudo antes na Europa, a participar dos seus grandes festivais.

André Setaro disse...

E para ser sincero, nunca ouvi falar de Corneliu Porumboiu. De quem se trata? Para mim, é um ilustre desconhecido. Será o Cornelius? E quem é Jasmila Zbanic? A julgar pela lista nada mixuruca de Carla Pedrosa já não estou a conhecer nada de cinema.

Romero Azevêdo disse...

Setaro, dentro da minha limitada compreensão acredito que as novas midias( tipo dvd) alteraram subsancialmente o critério das listas dos "10 melhores do ano". Por exemplo, nunca tinha visto antes "A Malvada" de Mankiewicz, só agora desfrutei o filme numa cópia impressa num disquinho prateado. Este filme integra a minha lista dos melhores de 2007, por que não ? Incluo também "Paradise Now" pelos mesmos motivos. Quer dizer, as novas tecnologias permitem ver um Chaplin feito há quase 100 anos como se tivesse sido feito ontem( aí o mérito é para Chaplin, não para a mídia). Mais um detalhe: quem manda na minha lista sou eu, logo entra o que eu quero.
Devo dizer ainda que gostei muito da lista dos "10" com apenas "4"(parece título de Kiorastami)

Sergio Andrade disse...

Setaro, concordo com você que o ano foi dos mais medíocres. Tivemos alguns bons filmes, mas obras-primas...
Ainda não vi alguns filmes que foram bastante elogiados, como Império dos Sonhos, Lady Chatterley, Novo Mundo, mas até o momento também considero o filme do Resnais o melhor do ano, um dos melhores estudos da solidão já realizados e, com certeza, o mais melancólico.
Em seguida viria, talvez, a animação Ratatouille, depois A Conquista da Honra, do Clint (que considero bem superior ao Cartas de Iwo Jima), e mais um ou outro (Zodiaco, Um lugar na platéia, O hospedeiro, Possuidos).
Dos nacionais, meus preferidos são A Casa de Alice, Baixio das Bestas, Batismo de Sangue e Jogo de Cena.

E da lista da Carla pelo menos 6 ainda não estrearam no Brasil, mas alguns passaram em mostras. Se não me engano Eleição 1 e 2 do Johnnie To foram lançados em DVD.

Mariana Paiva disse...

Ouvi falar muito bem do de Lelouch que está no cinema, André. É bom? Ainda não fui ver.

um abraço!

Saymon Nascimento disse...

Setaro, o tal Corneliu é um romeno aí. Depois da Coréia, o novo cinema importante é o romeno. No último Festival de Cannes, eles levaram. Nenhum dos filmes importantes dessa geração chegaram aqui em Salvador.

Em Busca da Vida é chinês, e estréia nesta terça, dia de Natal. Já passou uma outra coisa do diretor Jia Zhang-ke por aqui. Em 2006, esse Em Busca da Vida levou o Leão de Ouro em Veneza.

O filme da tal Jasmila se chama Em Segredo no Brasil, mas passou aqui em 2006, no mesmo ano que venceu o Urso de Ouro em Berlim. Ficou várias semanas em cartaz nas salas de arte e na Sala Walter. Perdi.

TRiad Election, de JOhnnie To, também passou por aqui ano passado, mas este ano, chegou um sensacional do mesmo diretor, Exilados, que está nos primeiros lugares da minha lista. Tem em dvd, em qualquer Video Hobby.

Enfim, estou preparando um texto desses para o Nacocó, mas desde já, estou com 20 filmes na mão tentando cortar para 10. Mesmo cortando muita coisa da lista de Carla, tem muito mais. Foi um ano excelente especialmente para o cinema brasileiro, com Jogo de Cena e Santiago.

Mas falta ainda algumas coisas para ver antes de terminar esse texto: O Império dos Sonhos, o novo Jesses James, Em Busca da Vida, todos que, nessa última semana do ano, vão estar em cartaz na cidade.

cabamacho disse...

Enfim alguem para concordar com a Carla, minha gostosa ex-colega de facom.