Seguidores

19 junho 2007

Filme baiano na Itália



Samba Riachão, de Jorge Alfredo, filme baianíssimo, faz parte do I Festival do Cinema Brasileiro na Itália, como se pode ver no cartaz deste post (caso esteja pequeno dê um clique nele que se amplia em outra janela). Entre outros, além do já citado, O prisioneiro da grade de ferro, excelente documentário de Jorge Sacramento, e Árido Movie, de Lírio Ferreira, um dos mais destacados representantes do vigoroso cinema pernambucano ao lado de Cláudio Assis (O baixio das bestas, que está programado para passar no III Seminário Internacional de Cinema e Audiovisual, que vai ser realizado, aqui mesmo, neste terra, no Teatro Castro Alves, entre os dias 9 e 14 de julho - depois darei maiores informações, mas, desde já, quem as quiser logo, vá direto ao site do seminário: http://www.seminariodecinema.ufba.br/

O documentário de Jorge Alfredo é sobre a figura imensa do compositor Riachão ("Cada macaco em seu galho", entre tantas!) e, se não há engano na memória, recebeu, ex-aequeo com Lavoura arcaica, o prêmio de melhor filme do Festival de Brasília. Não sei se tem em DVD. Tem Jorge Alfredo?

3 comentários:

Jorge Alfredo disse...

Caro André Setaro, "Samba Riachão" está no primeiro lote de DVD da Programadora Brasil, lançado em fevereiro desse ano pelo MinC. O projeto possibilita a exibição de recentes produções nacionais e filmes históricos em circuitos não-comerciais. O projeto beneficia os cineclubes, Pontos de Cultura, do Programa Cultura Viva; escolas e universidades públicas e privadas; além de outras instituições.
Obrigado pela divulgação!
Jorge Alfredo

Marcelo Janot disse...

E nas locadoras, Jorge Alfredo? Faz uma falta danada!

abraços

Jorge Alfredo disse...

Pois é.... De qualquer forma é sempre muito bom ver pessoas como você, Marcelo Janot, tendo tanto carinho pelo meu filme. Tem sido assim; “Samba Riachão” estreou em novembro de 2001 no Festival de Brasília. Saiu de lá com os prêmios de melhor filme tanto do júri oficial quanto do popular. Parecia que ia deslanchar... Foi pra Cuba, Portugal, Tiradentes, É Tudo verdade, mas somente em julho de 2004 conseguiu chegar ao circuito comercial devido a um prêmio de distribuição da Petrobrás. Com seis cópias omou nova injeção de ânimo; Apesar de um lançamento muito aquém do desejado, voltou pra Portugal, Uruguai, Argentina, seis cidades da Alemanha, Áustria, Espanha, Paris e Toulouse, na França, Bruxelas, fez um circuito de 240 cidades no Brasil em projeção digital, agora vai pra Itália, foi comprado pelo Canal Brasil e exibido muitas vezes, enfim, não pára de chegar convites, e lá se vão seis anos... Isso é muito bom, mas ao mesmo tempo dá aquela ponta de frustração; Apesar do filme ter legendas em inglês, espanhol, francês, alemão e italiano, ninguém se interessa em lançar “Samba Riachão” em DVD para o mercado de locadoras e a maioria das cidades brasileiras não teve a oportunidade de vê-lo nas salas de cinema... E isso tudo só tem retardado o meu segundo projeto pra cinema. Dizem que baiano é preguiçoso. Sei não... minha vida é uma trabalheira só.
Um grande abraço
Jorge Alfredo