Seguidores

02 julho 2009

Karl Malden

Mais um que se vai: Karl Malden (1912/2009)

5 comentários:

Jonga Olivieri disse...

Uma figura marcada pelo nariz boludo... um grande ator.
Lembro bem de sua interpretação em "Sindicato de Ladrões" (1954) de Kazan. Ficou conhecido e marcado como o detetive da série de TV da qual não me lembro o nome aqui no Brasil, mas cujo original era "Streets of San Francisco".

André Setaro disse...

Karl Malden foi uma figura marcante na minha trajetória de cinéfilo. Sindicato de ladrões, A face oculta, Uma rua chamada pecado, Baby Doll, entre tantos outros, são filmes que não se apagam da memória.

Sim, ele parecia que usava uma batata no nariz.

paulo disse...

não tem a ver com o post. é para comentar que inscrevi o meu dvd documentário sobre um artista plástico, jovem e especial, de Nova Friburgo , na Jornada de Cinema.
Mas não recebi nenhum email de confirmação que receberam.
Espero que você e a Ediane vejam o meu filme na Jornada!!!

paulo disse...

o comentário acima é do Paulo Barata.

Dimas Oliveira disse...

N Blog Demis:

Morre Karl Malden
O ator Karl Malden (22.03.1912-01.07.2009) faleceu na quarta-feira, aos 97 anos, em Los Angeles. Ele ficou mais conhecido pelas expressivas interpretações em filmes como "Uma Rua Chamada Pecado" (A Streetcar Named Desire), de Elia Kazan, 1950, no qual recebeu o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante; "indicato de Ladrões" (On the Watterfront), de Elia Kazan, 1954, no qual foi indicado ao Oscar de Nelhor Ator Coadjuvante; e Face Oculta" (One-Eyed Jacks), de Marlon Brando, 1961.

Seu nome de batismo era Mladen Sekulovich, filho de mãe checa e pai sérvio.
Outros filmes: "O Beijo da Morte" (Kiss of Death), de Henry Hathaway, 1947; "O Matador" (The Gunfighter), de Henry King, 1950; "A Tortura do Silêncio" (I Confess), de Alfred Hitchcock, 1952; "Boneca de Carne" (Baby Doll), de Elia Kazan, 1956; "A Árvore dos Enforcados" (The Hanging Tree), de Delmer Daves, 1959; "Pollyana" (Pollyanna), de David Swift, 1960; "O Grande Impostor" (The Great Impostor), de Robert Mulligan, 1961; "O Homem de Alcatraz" (Birdman of Alcatraz), de John Frankenheimer, 1962; "A Conquista do Oeste" (How the West Was Won), de John Ford, 1962; "Crepúsculo de uma Raça" (Cheyenne Autunm), de John Ford, 1964; "A Mesa do Diabo" (The Cincinnati Kid), de Norman Jewison, 1965; "Nevada Smith" (Nevada Smith), de Henry Hathaway, 1966; "Patton: Rebelde ou Herói?" (Patton), de Franklin J. Schaffner, 1970.
Assinou a direção do filme "Time Limit", em 1957 e fez bastantes produções de televisão, sendo a mais conhecida a série "As Ruas de São Francisco" (The Streets of San Francisco), na qual interpretava o detetive Mike Stone.
Entre 1989 e 1992, foi presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que atribui a premiação do Oscar.