Seguidores

23 outubro 2011

Para um domingo de encantamento

A magia do cinema do pretérito, uma certa ingenuidade e, diria mesmo, uma certa inocência, e um certo tipo de comédia, se perderam com o passar do tempo. Neste domingo, aqui chuvoso, nada melhor do que se sentir em plena década de 50, e dentro de um cinema de verdade, com dois mil lugares, vendo um filme como Artistas e modelos (Artists and Models, 1955), de Frank Tashlin, com Jerry Lewis, Dean Martin, Shirley MacLaine, Dorothy Malone. O final deste filme é puro encantamento pela sua simplicidade, pela sua poesia. Vejam, por exemplo, o ligeiro movimento de câmera que sai dos dois casais para uma igrejinha e, na volta, mostra-os já vestidos com a indumentária de casamento. Um primor. Tashlin introduziu o cartoon no cinema, e é um realizador importante, apesar de esquecido. Há, dele, uma comédia, além de muitas outras, evidentemente, antológica: Em busca de um homem (Will success spoil Rock Hunter?, 1957), que, inclusive, influenciou Billy Wilder em Se meu apartamento falasse (The apartment, 1960), que, nem por isso, deixou de ser uma prima obra.

Foi a partir de filme como Artistas e modelos que aprendi a amar o cinema.

3 comentários:

Jonga Olivieri disse...

Acho este final tão maravilhoso que o tenho marcado em "Meus Favoritos" da internet...

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

esse filme é uma delícia... tão belo, simples e divertido... o tashlin era muito bom...

O Falcão Maltês

Carla Marinho disse...

Opa Setaro, sem dúvida. Filmes com o meu Jerry Lewis são sempre uma boa pedida. Este post foi indicado no Blogs de Cinema Clássico. grande abraço!