Seguidores

25 janeiro 2011

"O Quinto Poder", de Alberto Pieralisi

Com a explosão do Cinema Novo na primeira metade dos anos 1960, alguns diretores que não faziam parte da corriola não eram festejados pela crítica, com exceção de alguns exegetas solitários independentes. Por causa disso, um filme importante como O Quinto Poder, realizado em 1962 por Alberto Pieralisi, passou em brancas nuvens pelo circuito comercial. O artesão, nesta época, era diminuído em favor daquele que fosse autor (e como surgiram autores chatos e medíocres!). Por outro lado, não se pode negar que o Cinema Novo prestou serviços à expressão cinematográfica brasileira com filmes do quilate de Deus e o diabo na terra do sol, Terra em transe, ambos de Glauber Rocha, Porto das caixas, de Saraceni, Vidas secas, de Nelson Pereira dos Santos, entre muitos outros.

O Quinto Poder mostra como países estrangeiros pretendem aplicar um golpe contra o Brasil, utilizando, para isso, uma nova técnica de mensagens subliminares transportadas junto com as ondas de rádio e televisão. Apenas as poucas pessoas que não ouvem rádio ou não assistem a televisão ficam imunes às mensagens e são elas que pretende desbaratar o golpe.

A imagem que acima o post dá como diretor Carlos Pedregal. O que não é verdade. Quem o dirigiu foi Alberto Pieralisi, mas Pedregal assinou o roteiro e, ao que parece, é também o autor do argumento original, além de seu produtor. No elenco de O Quinto Poder, Oswaldo Loureiro, Eva Wilma, Augusto César Vanucci, Sebastião Vasconcelos, Renato Coutinho, Nildo Parente, Roberto Maya, Fábio Sabag, Joanna Fomm, Adhemar Gonzaga (sim, o pioneiro cineasta!). A partitura, extremamente funcional, é do talentoso Remo Usai, e a fotografia de Ozen Sermet.

5 comentários:

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Caríssimo, o seu blog acaba de ser premiado com o SELO DE QUALIDADE "PROJETO CRÉATIVITÉ".
Venha pegar o seu selo!
Está tudo no post "Selo de Qualidade Para O Falcão Maltês".
Abraço bom,

www.ofalcaomaltes.blogspot.com

Jonga Olivieri disse...

Assisti este filme na época. Até porque, adolescente que era fui atraído pela trama, com toques de espionagem, envolvendo intrigas internacionais.
Mal lembro do filme. Ficou uma cena (creio que no final) de perseguição numa estrada tipo a do Corcovado.

A.C. disse...

Olá, André.

Cheguei a postar um texto breve sobre "O Pirata", de Minnelli direto de uma lan.
Hoje, ao observar erros na digitação tratei de ajeitá-los.

Interessante é que abaixo das postagens são registrados horários da madrugada, enquanto os comentários e textos são postados pela manhã ou tarde.
Ou seja, a máquina não é tão perfeita.

Marcelo Miranda disse...

Querido Setaro, que ótimo lê-lo sobre este filme! Deve se lembrar que lhe enviei uma cópia, conseguida diretamente com o Pedregal, já um senhor de vasta idade. Ele mora fora do Brasil, mas foi muito solícito em enviar o filme semirestaurado. Eu adoro essa pérola. Um abraço.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Olá, Setaro, ando pensando numa conexão de comentários entre blogueiros que admiramos. Seria uma forma de incentivar o intercâmbio de idéias, favorecendo a blogsfera cinéfila. A cada post seu eu faria um comentário, e vice-versa. Sempre com sinceridade. O que acha? Vamos iniciar?
Abraço bom,

www.ofalcaomaltes.blogspot.com