Seguidores

15 novembro 2010

Entre umas e outras

1.) Um momento sublime de Rastros de ódio (The seachers), de John Ford, quando, na sequência final, encontrada a sobrinha (Natalie Wood) criada no meio dos índios, John Wayne (Tio Ethan) a traz de volta ao seio de sua família. No enquadramento (e, para vê-lo melhor é preciso que se dê um clique nele), há um sentido muito poético da paisagem e da ansiedade da espera, tantos anos se passaram. Para mim, The seachers é o melhor filme do Homero do cinema, que é, sem dúvida, John Ford. Na filmografia fordiana, no entanto, há outras obras que são primas, contrariando o próprio conceito de obra-prima, que deveria ser uma na carreira de um cineasta. O homem que matou o facínora (The man who shot Liberty Valance) é, na minha opinião, um monumento da arte no século XX. Assim como tantas outras. Ver Ford é sentir o cinema em sua pureza absoluta, um exercício de dignidade e que proporciona um prazer incomensurável ao cinéfilo.

2.) Morreu Jill Clayburg. Embora o registro atrasado, fica, porém, uma nota. Ela se destacou em Uma mulher descasada, de Paul Mazursky (por onde anda este realizador que já chegou, inclusive, a filmar em Ouro Preto e na Bahia um filme chamado Luar sobre o parador, com Richard Dreyfuss, Raul Julia, Sonia Braga?). Mas quem soube mostrar todo o talento dramático de Jill Clayburg foi Bernardo Bertolucci em La Luna, quando a atriz faz uma mãe, cantora de ópera, que tem relações incestuosas com seu filho. E a vida prossegue: enquanto muitos morrem, muitos continuam a viver. Jane Fonda acaba de ser operada para tirar um nódulo canceroso da mama. Mas se salvou. Tem já 72. E parece que foi ontem que a vi num strip-teaser espacial em Barbarella, de Roger Vadim, ou como a garota saliente de Dívida de sangue (Cat Ballou).

3.) O livro que vai ser lançado junto ao DVD de Cascalho, de Tuna Espinheira, no próximo dia 15 (daqui a um mês) é a última edição do romance original do escritor consagrado Herberto Salles. Não se trata, como alguns chegaram a pensar, de um livro sobre o filme. Trata-se do romance em toda a sua integridade. Cascalho também será apresentado na Mostra de Cinema e Vídeo de Jacobina, a realizar-se entre os dias 6 e 10 de dezembro.

4) Esta mania de, agora, em muitos DVDs, se colocar "baseado em fatos reais" é de uma estulticie monumental. 

2 comentários:

Stela B. de Almeida disse...

estulticie? means?

Jonga Olivieri disse...

Você sabe que eu tenho um caso especial com "The seachers" de Ford. Considero o filme uma obra prima do western (o cinema estadunidense por escelência) como bem você define.
Mas toda a obra de Jonh Ford é primorosa.
Quanro ao "Homem que matou o facínora" ou a moral de que ficam as verssões do fato e não o fato real, outro aprofundamento do brilhante irlandês nos meandros da sociedade.
Esta semana assisti "Appaloosa" de Ed Harris. Um estudo interessante da no dia a dia do far west. Um filme bem feito de um artesão posicionado e observador da sociedadeno violento período nos EUA, suas contradições e mitos (alguns desmitificados claramente).
Você deve ter visto, mas se não, assita porque vale a pena.