Seguidores

06 agosto 2007

O que há para ler na web



Marcelo Miranda, um dos mais criteriosos e lúcidos críticos da nova geração, a geração que veio a ser conhecida no espaço virtual, conseguiu uma façanha: realizar uma entrevista exclusiva com o cineasta Carlos Alberto Prates Correia para o jornal O Tempo, de Belo Horizonte, para o qual Marcelo escreve críticas cinematográficas. Prates, que tem obras cultuadas como Minas, Texas, Cabaret Mineiro, e Noites do sertão, há mais de 15 anos desapareceu das telas brasileiras. A entrevista feita por Marcelo é muito boa e ele permitiu a sua disponibilidade. Recomendo aos quatro leitores deste blog, eu e mais três que ficam no espaço virtual au hasard, que leiam a interview. Vale mais do que a pena. Ao lado deste blog, à esquerda de quem usa o computador, existem vários links e, num deles, está o endereço do blog de Marcelo Miranda: Impressõs cinéfilas. E aqui está o link para a entrevista de Carlos Alberto Prates Correia:


Ladrão que sou, mas ladrão de fotos na internet, roubei a foto que ilustra este post, a do velho Ingmar Bergman, fotografia bem expressiva que estava dando bobeira no blog de Marcelo Miranda. Bergman morreu bem, porque poucos os que podem chegar perto dos 90 anos e deixar uma obra tão importante, tão imprescindível. Antonioni também morreu como não podia deixar de ser, pois todos nós temos que enfrentar a Implacável um dia, assim como Max von Sydow enfrentou a morte personalizada em O sétimo selo (Det sjunde inseglet, 1956), filme que foi considerado pelos críticos da Folha de S. Paulo como o melhor Bergman.


E o cinema e a crítica paulista estão bem representados na Revista Zingu!, editada pelo pesquisador Matheus Trunk. O dossiê do mês passado foi dedicado a Rubem Biáfora, mas o que saiu agora é sobre Carlos Maximiliano Motta, companheiro de Biáfora na redação do Estadão e, como ele, crítico dedicado, atento aos mínimos detalhes. Conhecia como poucos o cinema japonês. A Revista Zingu! é muito interessante de se ler, pois Matheus, ainda que um jovem, adora o cinema de seu estado, idolatrando mesmo certas figuras do cenário paulistano. Impressionante como um rapaz de sua idade se preocupa com pessoas da Sé de Palha, como faz mensalmente na sua revista eletrônica. Palmas para ele!

5 comentários:

Marcelo Miranda disse...

Setaro, sempre uma honra ser citado por você, ainda mais com tão gentis palavras. Obrigado pela força, mas mais que isso, por perpetuar as palavras imperdíveis do Prates Correia, essa figura reclusa que finalmente abriu a boca (ou o teclado, já que foi via email). O papo foi realmente interessante. Valeu, como sempre, e grande abraço!

Vinicius Silva disse...

Entrevista realmente proveitosa e muito interessante para aqueles que gostam de cinema. Porém , não deixei meu comentário com o intuito de falar sobre a entrevista, mas sim de passar um link pro bloguista, visto que você, Setaro, gosta bastante de Brigitte Bardot.

Segue um link da matéria feita pelo New York Times e colocada recentemente no site do jornal americano. Não sei se o senhor chegou a ver, mas senão, o link segue abaixo:

http://www.nytimes.com/2007/08/07/movies/homevideo/07dvd.html?_r=1&oref=slogin

André Setaro disse...

Muito obrigado Vinicius! Já fui ver no site indicado. Há um bom texto sobre BB e algumas fotos gloriosas.

André Setaro disse...

Penso em roubar algumas para as colocar aqui.

Regina Machado disse...

Você pode acrescentar mais uma leitora de seu blog, Setaro, via Tuna Espinheira.
Que bom que vc divulgou a entrevista com o Prates! Importante não deixar que a história se esfume!
Que deixem nossos filmes encontrar seu público. Por uma trajetória de exibição regular para Cascalho e tantos e tantos filmes!