Seguidores

09 março 2006

A Novíssima Onda Baiana

Desenvolvido pelo cineasta baiano Jorge Alfredo Guimarães, o diretor premiado de Samba Riachão, o encarte dentro do site da ABCV (Associação Baiana de Cinema e Vídeo) dedicado a catalogar os filmes baianos - da época da chamada retomada do cinema brasileiro - é uma fonte não somente de pesquisa, mas, também, para se conhecer a produção que se consolidou na Bahia nesse período. A recente premiação de Eu me lembro, de Edgard Navarro, no Festival de Brasília, vem coroar uma série de longas que surgiram a partir do ano 2000, a exemplo de Três histórias da Bahia, de Sérgio Machado, Edyala Iglezias, e José Araripe Jr, Samba Riachão, ex-aequo com Lavoura arcaica em Brasília, Cascalho, de Tuna Espinheira, A cidade das mulheres, de Lázaro Faria, entre outros que estão por vir, como o longa de Pola Ribeiro e o de Fernando Beléns, entre outros. Para visitar o site, basta clicar no endereço que se segue:
http://www.abcvbahia.com.br/novaonda/index.htm

Um comentário:

Carlos Donatti disse...

Acessei o site indicado por Setaro e, realmente, o trabalho de Jorge Alfredo oferece uma visão bastante ampla da produção cinematográfica na Bahia a partir de 1993. Vejo também um certo boicote dos sulinos em relação ao cinema baiano. Nos livros da retomada, seja o de Butcher, Oricchio, Nagib, pouco ou quase nada se diz a respeito da nossa cinematografia.